Cat-6A

Retour à  la page principale

Menu du site ‘Mission de sainte Anne’ 


Catecismo Ilustrado

Catecismo Ilustrado (1910), em português (Cat-6A) / (Cat-2B)


Veja página específica em francês, inglês, ou em espanhol:

Francês (Cat-5) (Cat-3) (Cat-2) / Inglês (Cat-4A) (Cat-4A-1) (Cat-4B-1) / Espanhol (Cat-2C)


 

– Catecismo Ilustrado (1910) – Textos digitalizados e transcritos, PDF: Clique aqui

– Catéchisme en Images (1908) – Textes numérisés & transcrits, PDF: Cliquez ici

– Catechism in Pictures (1912) – Texts scanned & transcribed, PDF: Click here


 

Páginas 01 a 15 (Parte 1 de 4)

A- Catecismo Ilustrado, páginas 01 a 15: (Página atual)

B- Catecismo Ilustrado, páginas 16 a 32: Clique aqui

C- Catecismo Ilustrado, páginas 33 a 49: Clique aqui

D- Catecismo Ilustrado, páginas 50 a 66: Clique aqui

 


 

0-1-couverture

0-2 imprimatur 0-3 Indice das sessenta

0-4 Summario

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 1

Texto PDF no.1   

1a  1b  picture-1b

INTRODUCÇÃO

 

O catecismo

1. O catecismo é uma instrucção familiar, por meio de perguntas e respostas, sobre a doutrina christã.

2. A doutrina christã é a que nos foi ensinada por Nosso Senhor Jesus-Christo quando prégou o Evangelho pela Judea.

 

Explicação da gravura.

3. Antes de ensinar a sua doutrina, Nosso Senhor quiz mostrar ás creanças, com o seu exemplo, como deviam receber as intrucçôes do catecismo. Afim de celebrar a festa da Paschoa, o Salvador compareceu em Jerusalem aos doze annos de edade, acom- panhado de Maria e José. Vemo-lo nesta gravura, ao alto e á esquerda, no templo, rodeado dos doutores da lei a quem escuta e interroga. Diz-nos o Evangelho que o divino mestre os assombrou pela sabedoria das suas respostas.

4. Chegado á edade de trinta annos, Jesus começou a percorrer a Judea para ensinar a sua doutrina. Prégava ora nas synagogas, onde os Judeus se reuniam para rezar, ora nas montanhas e nos praias. A gravura nol-O representa ao alto á direita, assentado numa barca, no mar da Galilea. Em volta vêem-se os apostolós, e na margem, escutando seus ensinamentos, os Judeus de uma aldeia visinha.

5. Depois de Jesus-Christo subir ao ceo, a sua doutrina ficou sendo prégada pelos apostolos, bispos, padres e diaconos. Ao meio da gravura vemos o diacono Filipe, sentado num carro de quatro rodas junto de um official de Candacia, rainha da Ethiopia, o qual lia as Sagradas Escripturas sem as comprehender. Filipe explicou-lh’as, e o official pediu o baptismo dizendo : « Creio Jesus-Christo é Filho de Deus ».

6. O ultimo plano da gravura representa, á esquerda, o Summo Pontifice, eusinando a todas as classes sociaes a doutrina christã; á direita, um bispo prégando a homens, ainda na barbaria, o santo Evangelho; e ao centro um sacerdote ensinando o catecismo ás creanças.

 

O fim do homem.

7. E’necessario a todos os homens e sobretudo aos christãos o conhecimento da doutrina christã, por isso que sem o seu conhecimento não se pode alcançar o fim para que Deus nos creou.

8. Deus creou-nos para o conhecermos, o amarmos, o servirmos e obtermos assim a vida eterna.

9. Servimos a Deus : 1° observando a sua lei : 2° cumprindo fielmente os deveres do nosso estado; 3° glorificando-o por toda a especie de boas obras.

10. E’necessario servirmos a Deus : 1° porque só para esse fim fomos creados; 2° porque todo aquelle que não serve a Deus se expõe a ser eternamente desgraçado no inferno.

11. Ha muitos homens que não servem a Deus e que se prendem aos bens da terra de preferencia a Deus. Prendem-se ás honrarias pelo orgulho, ás riquezas pela avareza, aos prazeres pela luxuria e pela gula.

12. Mas não logram encontrar a felicidade, porque o coração do homem foi feito para Deus e os bens da terra não o pódem satisfazer. Só Deus nos póde tornar felizes, porque Elle é o supremo bem.

13. Mesmo nesta vida, Deus concede aos que o servem a paz duma boa consciencia; protege-os nas suas emprezas; consola-os nas suas tristezas, e cumula-os de toda a especie de beneficios.

14. Gozaremos de uma felicidade perfeita, quando possuirmos a vida eterna, isto é, quando virmos a Deus no ceu por toda a eternidade.

 

O nome e o signal do christão.

15. Chama-se christão áquelle que foi baptisado, e que professa a religião christã.

16. E’uma grande felicidade o ser-se christão, porque o christão é filho de Deus, irmão de Jesus-Christo e herdeiro do paraiso.

17. O signal pelo qual se reconhece o christão é o signal da cruz : Em nome do Padre, e do Filho, e do Espirito Santo. Assim seja. Ou em latim : In nomine Patris, et Filii, et spiritus Sancti. Amen.

18. O signal da cruz lembra-nos que ha um só Deus em tres pessoas, e que Jesus-Christo, Filho de Deus feito homem, morreu por nós na cruz.

19. Feito com fé e piedade, o signal da cruz afasta os perigos e as tentações e attrae sobre nós as bençãos de Deus.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 2

Texto PDF no.2 

2a  2b  picture-2b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

1° artigo : Creio em Deus Padre todo poderoso.

 

1. Deus pode fallar aos homens, pois lhes deu a faculdade de se entenderem.

2. Deus falou verdadeiramente aos homens; é o que se chama revelação.

3. Sem a revelação não nos poderiamos salvar, visto como nos seria impossivel saber, por nós proprios, o que é preciso crêr e fazer para obtermos a salvação.

4. Distinguem-se tres revelações : 1° a revelação primitiva, feita por Deus a Adão e aos patriarchas; 2° a revelação Moísaica, feita por Deus a Moysés; 3° a revelação christã que nos foi feita por Nosso Senhor Jesus-Christo. sgmbolo dos apostolos.

5. O symbolo dos Apostolos é uma profissão de fé que os Apostolos nos deixaram e que, en doze artigos, encerra as verdades principaes que devemos crêr.

6. A primeira dessas verdades é que ha um Deus, e um só, exclusivamente.

7. Crêmos em Deus, porque Elle proprio nos revelou a sua existencia.

8. Tambem a razão nos diz que ha um Deus, porque, se o não houvera, o mundo não poderia existir. Com effeito, o mundo não proderia crear-se a si mesmo, como nem sequer podem crear-se uma casa ou um relogio.

9. Deus é um puro espirito, infinitamente perfeito, creador do ceo e da terra, e soberano senhor de todas as coisas.

10. Digo que Deus é um puro espirito, porque não tem corpo, e não póde ser visto pelos nossos olhos, nem tocado pelas nossas mãos.

11. Digo que Deus é infinitamente perfeito, porque Elle possue todas as perfeições e as suas perfeições não tem limites.

12. Deus tem existido sempre; nunca teve principio, e nunca ha de ter fim.

13. Deus está no ceo, na terra, e en toda a parte.

14. Deus conhece todas as coisas, o passado, o presente, o futuro, e até os nossos pensamentos e desejos; vè-nos sempre, mesmo quando nos occultamos para o offender.

 

O mysterio da Santissima Erindade.

15. Um mysterio é uma verdade revelada por Deus, e que nós devemos acredítar, embora a não possamos comprehender.

16. O mysterio da Santissima Trindade é o mysterio de um só Deus em tres pessoas, a saber, o Pae, o Filho, e o Espirito Santo.

17. O Pae é Deus, o Filho é Deus, o Espirito Santo é Deus. O Pae, o Filho e o Espirito Santo são um só e o mesmo Deus; são eguaes em todas as coi- sas, porque têem uma só e a mesma substancia, e por tanto uma só e a mesma divindade.

 

Explicação da gravura.

18. A Santissima Trindade está representada ao centro por um grande triangulo, no qual se vê Deus Padre sobre o globo do mundo, segurando os braços da cruz á qual está pregado Jesus-Christo, seu Filho; o Espirito Santo, sob a forma de uma pomba, derrama os sens raíos de luz entre o Pae e o Filho, o que nos dá a entender que procede do Pae e do Filho.

19. Ao alto da gravura vè-se, á esquerda, a Jesus-Christo, conferindo aos apostolos, antes de subir ao ceo, a missão de ensinar todas as nações e de as baptisar em nome do Padre, e do Filho, e do Espirito Santo.

20. Vè-se, á direito, o baptismo de Jesus-Christo, no qual se manifestaram as tres pessoas divinas. (V. a gravura 19.)

21. Em baixo, á esquerda, vêmos Abrahão recebendo a visita de très Anjos; Abrahão viu-os aos tres, e apenas saudou a um, dizendo : « Senhor, se achei graça deante de teus olhos, não preterirás a casa de teu servo. »

22. A’ direita, vêmos a Sto Agostinho e uma creança, Um dia, o santo bispo de Hipona passeiava á borda do mar, querendo aprofundar o mysterio da Santissima Trindade. De subito, vè uma creança entretida a encher uma pequena concha e a vasar-lhe a agua numa covasita que abrira na areia. « Meu filho, que pretendes tu fazer? Quero metter neste buraco toda a agua do mar. Mas tu bem vês que este buraco é muito pequeno para tanta agua. Mais facil me será metter o mar neste buraco, do que tu comprehenderes o mysterio da Santissima Trindade. E dizendo isto, a creança desapareceu. Era um anjo que tomara aquella forma para advertir o santo de que o mysterio da SSma Trindade era impenetravel a todos os espiritos creados.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 3

 Texto PDF no.3

3a  3b  picture-3b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

1° artigo (continuação) : Creador do ceo da terra.

 

A creação.

1. Estas palavras do Symbolo : creador do ceo e da terra, significam que Deus tirou do nada o ceo e a terra com tudo o que estes encerram.

2. Os homens não podem crear, porque para fazer alguma coisa do nada é preciso ser-se omnipotente. Só Deus pode crear, porque só Deus é omnipotente.

3. Deus não era obrigado a crear o mundo ; creou-o porque assim o quiz.

4. Deus creou o mundo pela sua palavra, isto é, por um só acto de sua vontade.

5. As mais perfeitas creaturas de Deus são os Anjos e os homens.

 

Os Anjos.

6. Os anjos são puros espiritos que Deus creou para o adorarem, e executarem suas ordens.

7. Deus creou-os ein estado de graça e de santidade, mas nem todos perseveraram nesse estado; uma parte delles revoltou-se contra Deus perdendo a graça pelo seu orgulho.

8. Deus recompensou a fidelidade dos Anjos bons comfirmando-os em graça e dando-lhes a posse da felicidade do ceo.

9. As funcções dos Anjos bons são louvar a Deus e executar as suas ordens.

10. Os Anjos bons, em especial os Anjos da guarda, velam por nós e protegem-nos.

11. Devemos respeitar a presença do nosso Anjo da guarda, e ínvoca-lo nas tentações e nos perigos.

12. Deus castigou os anjos rebeldes expulsando-os do ceu e condemnando-os ao supplicio do inferno.

13. Os anjos máos procuram arrastar-nos ao mal, porque são enimigos de Deus e enimigos da felicidade eterna que nos está promettida.

14. Deus creou o ceo e a terra em seis dias.

 

Explicação da gravura.

15. Esta gravura representa a obra divina por meio de seis zonas circulares, cada uma das quaes reproduz una dos seis dias da creação e a attitude de Deus realisando a sua obra.

16. A primeira zona representa a obra do primeiro dia, isto é, Deus creando a luz.

17. A segunda representa a obra do segundo dia, isto é, Deus creando o firmamento, e separando-o da terra e dos ceos.

18. A terceira representa a obra do terceiro dia, isto é, Deus separando a terra das aguas e mandando á terra que produzissc todas as especies de plantas.

19. A quarta representa a obra do quarto dia, isto é, Deus creando o sol, a lua e as estrellas.

20. A quinta representa a obra do quinto dia, isto é, Deus creando as aves no espaço e os peixes na agua.

21. A sexta representa a obra do sexto dia, isto é, Deus creando os animaes terrestres e fazendo o homem á sua imagem e semelhança.

22. Ao alto da gravura, Deus descança no setimo dia e consagra-o ao seu serviço. Este descanço é symbolysado pelo sol velado e pelos astros que presidem á noite, a lua e as estrellas. O triangulo formado por uma nuvem e no qual Deus descança, significa que as tres pessoas divinas cooperaram, todas ellas, na obra da creação. E’ o que estas palavras nos revelam : « Façamos o homem á nossa imagem e semelhança.

 

O homem.

23. O homem é uma créatura racional composta de uma alma e de um corpo.

24. A alma é um espirito creado à imagem de Deus para ser unido a um corpo, e que jamais morrerá.

25. A nossa alma é creada á imagem de Deus no que esta é capaz de conhecer, amar e agir livremente.

26. E’ certo que a nossa alma é immortal, porque é depois desta vida que Deus deve, na sua justiça, recompensar a virtude e punir o vicio.

27. Deus creou o prímeiro homem formando o seu corpo com terra e unindo a esse corpo uma alma que tirou do nada.

28. Para crear a primeira mulher Deus mergulhou Adão num somno mysterioso, e emquando elle dormia tirou-lhe uma costella de que formou a primeira mulher, unindo uma alma a esse corpo.

29. O primeiro homem chamou-se Adão e a primeira mulher Eva, e delles somos todos nós descendentes; por isso os chamamos os nossos primeiros paes. Deus collocou Adão e Eva num logar de delicias chamado o paraiso terrestre.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 4.0

Texto PDF no. 4.0

4.0a  4.0b  picture-4.0b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

2° artigo: E em Jesus Christo, seu unico filho, Nosso Senhor.

 

Promessa de um Redemptor.

1. Deus creou Adão e Eva, como os Anjos, num estado de innocencia e de justiça em que não estavam sujeitos nem ás dôres, nem á morte.

2. O demonio, disfarçado em serpente, levou os nossos primeiros paes a desobedecerem a Deus, comendo do fruto prohibido.

3. Em castigo da sua desobediencia foram expulsos do paraiso terrestre, e condemnados a comer o pão com o suor do sen rosto ; ficaram sujeitos á ignorancia, á concupiscencia, á dôr e á morte, e ficaram excluidos da felicidade do ceo.

4. O peccado de Adão transmittiu-se a todos os seus descendentes, de sorte que estes nascem culpados do peccado dos seus primeiros paes e sujeitos ás mesmas miserias.

5. O peccado de que todos os homens nascem reus chama-se peccado original, isto é, que vem da nossa origem. (V. gravura LVII.)

6. A Santissima Virgem foi isenta, por um privilegio especial, do peccado original, porque devia ser a Mãe do Filho de Deus (V. gravura LIV.)

7. Deus não abandonou o homem depois do seu peccado. Apiedou-se delle, e prometteu-lhe um Salvador que se chamou o Messias.

8. Deus renovou aos patriarchas Abrahão e Jacob a promessa dum salvador.

9. Deus fez annunciar pelos profetas com muita anticipação a vinda do salvador.

10. Os profetas predisseram a época da vinda do Messias, o seu nascimento de uma virgem em Bethleem, os seus milagres, a sua paixão, a sua morte, a sua resurreição, e finalmente o estabelecimento da sua religião por toda a terra.

11. O salvador promettido ao mundo é Nosso Senhor Jesus Christo.

 

O Verbo eterno.

12. São João, ao começar o seu Evangelho, descreve assim a geração eterna do Redemptor : « No principio era o Verbo, e 0 Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Este estava no principio com Deus. Todas as coisas forom feitas por Elle e nada do que foi feito foi feito sem Elle. Nelle estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a Luz resplende nas trevas, e as trevas não a comprehenderam. Houve um homem enviado por Deus que se chamou João, Este veiu por testemunho, e para dar testemunho da luz, afim de que todos crêssem por meio delle. Este não era a luz, mas vinha para dar testemunho da luz.

 

O Verbo encarnado.

13. Este era a luz verdadeira que allumia a todo o homem que vem a este mundo. Estava no mundo e o mundo foi feito por Elle, e o mundo não o conheceu. Vein para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas a todos os que o receberam deu Elle poder de se fazerem filhos de Deus aos que erêem no seu nome, que não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e nós vimos a sua gloria, gloria como do Filho unigenito do Pae, cheio de graça e de verdade. (João 1, 1-14.)

 

Testemunho do Precursor.

14. « João dá testemunho d’Elle e clama dizendo : Este era o de quem eu disse : O que ha de vir depois de mim, foi preferido a mim, porque era autes de mim. E todos nos participamos da sua plenitude e graça por graça. Porque a lei foi dada por Moysés, a graça e a verdado foi trazida por Jesus-Christo. Ninguem jamais viu a Deus; o Filho unigenito, que está no seio do Pae, é quem o deu a conhecer. (João 1, 15-18.)

 

Explicação da gravura.

15. Esta gravura representa o milagre da Transfiguração, no qual Deus Pae proclama Jesus-Christo seu Filho.

16. Jesus-Christo subiu ao monte Thabor com os seus discipulos, Pedro, Thiago e João, transfigurando-se alli de subito deante delles. O seu rosto tornou-se brilhante como o sol e as suas vestes brancas como a neve. Vêmos aqui Moysés e Elias falando com Elle. Do meio da nuvem luminosa que as cobre, uma voz faz ouvir estas palavras : « Este é o meu Filho bem amado, em quem tenho posto todas as minhas complacencias. Escutai-o. »

    Ouvindo isto, os apostolos que tinham acompanhado Nosso-Senhor, são tomados de assombro, prostrando se por terra. No meio destes, São Pedro exclama: « Senhor, estamos bem aqui; se quereis, façamos aqui tres tabernaculos, um para Vós, outro para Moysés e outro para Elias. »

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 4.1

Texto PDF no. 4.1

4.1a  4.1b  picture-4.1b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

3° artigo : « Concebido por obra e do Espirito Santo. »

 

O mysterio da Encarnação.

1. O mysterio da Encarnação contido no 2° e no 3° artigo do Symbolo é o mysterio do Filho de Deus feito homem.

2. O Filho de Deus fez-se homem tomando um corpo e uma alma semelhantes aos nossos no seio da bemaventurada Virgem Maria, sua Mãe, por obra e graça do Espirito Santo.

3. O Filho de Deus feito homem chama-se Jesus- Christo.

4. O nome de Jesus significa Salvador. « E lhe chamarão por nome Jesus, disse o anjo a São José, porque elle salvará seu povo dos peccados destes. »

5. Chamamos ainda a Jesus Christo Nosso Senhor, isto é, nosso Mestre, porque elle nos creou e nos resgatou com o seu sangue.

6. Jesus Christo é Deus e homem no todo, porque tem duas naturezas, a natureza divina e a natureza humana.

7. Só ha em Jesus-Christo uma pessoa, que é a pessoa do Filho de Deus.

 

Explicação da gravura.

8. Esta gravura representa o anjo Gabriel saudaudo a Santissima Virgem, quando ella orava na sua casa de Nazareth, e annunciando-lhe que Deus o escolhera para ser a mãe do Salvador. No mesmo instante, o Espirito Santo operou em Maria, por um grande milagre, o mysterio da Encarnação.

    Damos a seguir a narração da Annunciação e da Visitação, segundo o Evangelho de São Lucas.

 

A Annunciação.

9. « E estando Isabel no sexto mês, foi enviado por Deus o anjo Gabriel a uma cidade de Judea chamada Nazareth, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da casa de David, e o nome da Virgem era Maria. E entrando pois o anjo onde ella estava, disse-lhe : Deus te salve, cheia de graça, o Senhor é comtigo, bemdita és tu entre as mulheres. Ella, como o ouviu, turbou-se de seu falar, e discorria pensativa que saudação seria esta. Então o anjo lhe disse : Não temas, Maria, pois achaste graça deante de Deus. Eis conceberás e darás á luz um filho e põr-lhe-has o nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altissimo, e o senhor Deus lhe dará o throno de seu pae David, e reinará eternamente casa de Jacob, e o seu reino não terá fim.

10. Disse Maria ao anjo : Como se fará isso, pois eu não conheço varão? E o anjo lhe respondeu : O Espirito Santo descerá sobre ti, e a virtude do Altissimo te cobrirá com a sua sombra, e por isso mesmo o Santo que ha de nascer de tí será chamado Filho de Deus. E ahi tens tu a Isabel, tua parente, que até concebeu um filho na sua velhice, e este é o sexto mês da que se diz estéril, porque a Deus nada lhe é impossivel. E Maria lhe disse : Eis aqui a escrava do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo se apartou della. »

 

A Visitação

11. « E naquelles dias, levantando-se Maria, foi com pressa ás montanhas a uma cidade de Judá. E entrou em casa de Zacharias e saudou Isabel. E aconteceu que, tanto que Isabel ouviu a saudação de Maria, deu o menino saltos no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espirito Santo. E bradou em voz alta e disse : Bemdita és tu entre as mulheres e bemdito é o fruto do teu ventre. E donde a mim esta dita que venha visitar-me a que é Mãe de meu Senhor. Porque, assim que chegou a voz da tua saudação aos mens ouvidos. logo o menino deu saltos de prazer no meu ventre. E bemaventurada tu que crêste, porque se hão de cumprir as cousas que da parte do Senhor te foram ditas. E Maria disse :

 

Cantico de Maria.

    « A minha alma engrandece ao Senhor e o meu espirito se alegrou em extremo por Deus, meu Salvador, por este ter posto os olhos na baixesa da sua escrava, porque eis ahi de hoje em deaute me chamarão bemaventurada todas as gerações. Porque me fez grandes cousas o que é Poderoso, e santo é o seu nome. E a sua misericordia se entende de geração em geração sobre os que o temem. Elle manifestou o poder de seu braço, dissipou os que, no fundo do seu coracão, formavam altivos pensamentos. Depoz do throno os poderosos, e elevou os humildes. Encheu de bens-os que tinham fome e despediu vasios os que eram ricos. Protegeu a Israël, seu servo, lembrado da sua misericordia. Assim como tinha promettido a nossos paes, a Abrahão e á sua posteridade, para sempre. »

 


Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 4.2

Texto PDF no. 4.2

4.2a  4.2b  picture-4.2b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

3° artigo (continuação) : Nasceu de Maria Virgem.

 

Explicação da gravura.

1. Ao centro, o Menino Jesus nasce no estabulo de Bethleem, cercado dos cuidados de Maria, sua Mãe, e de São José, seu pae adoptivo. Perto da manjadoura onde o Menino repousa, um boi e um jumento, animaes que, segundo a tradição, lá se encontravam.

2. Os pastores vêm adora-lo, e no ceo os anjos entoam o alegre cantico : Gloria a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade.

 

Rascimento de Jesus-Christo.

3. « E aconteceu naquelle tempo que saiu um edito de Cesar Augusto, para que fosse alistado todo o mundo. E este primeiro alistamento foi feito por Cyrino, governador da Syria. E iam todos alistar-se, cada qual á sua cidade. E saiu tambem José de Galilea da cidade de Nazareth, á Judea, á cidade de David, que se chamava Bethleem, porque era da casa e familia de David, para se alistar com sua esposa Maria, que estava pejada. E estando alli aconteceu completarem-se os dias em que ella devia dar á luz. E deu á luz a seu filho primogenito, e o enfachou e reclinou numa manjadoura, porque não havia logar para elles na estalagem.

 

Vida occulta de Jesus.

4. Guiados por uma estrella milagrosa, os Magos, em numero de tres, vieram adorar o Menino Jesus, e offereceram-lhe ouro como a um rei, incenso como a um Deus e myrra como a um homem mortal, por isso que a myrra era empregada para o embalsamento dos mortos.

5. Nosso Senhor foi apresentado no templo quarenta dias depois do seu nascimento, no segundo dia de fevereiro. A Santissima Virgem cumpriu nesse dia a cerimonia da purificação, prescripta pela lei de Moysés.

6. Depois da apresentação no templo, os paes de Jesus levaram-no para o Egypto, afim de escapar á perseguição de Herodes, que o queria mandar matar.

7. Para conseguir O seu fim, Herodes mandou degolar todas os creanças até a edade de dous annos em Bethleem e seus arredores. Estas creanças são os chamados Santos Innocentes.

8. Morto Herodes, o Menino Jesus voltou para Nazareth, na Galilea, onde permaneceu até á edade de trinta annos.

9. A vida de Jésus em Nazareth foi uma vida ignorada, pobre e de trabalho.

10. Ensina-nos o Evangelho que durante este tempo Jesus-Christo frequentava o templo nos dias de festa, era obediente a seus paes, e á medida que ia crescendo em edade, mais dava mostras de sabedoria e santidade.

 

Vida publica de Jesus.

11. Na edade de trinta annos, Jesus-Christo recebeu o baptismo das mãos de São João Baptista, nas aguas do Jordão.

12. E retirou-se em seguida para o deserto onde jejuou durante quaranta dias (gravura 51) permittindo ao demonio que o tentasse, para nos eusinar como devemos resistir ás tentações. (Gravura 53).

13. Sahindo do deserto, Jesus-Christo escolheu os seus doze apostolos, e começou a pregar o Evangelho na Judea.

14. Nosso Senhor tomou para seus apostolos a uns pobres pescadores que não tinham nenhuma instruccão e viviam do seu trabalho.

15. São os seus nomes : Simão chamado Pedro, e André seu irmão; Thiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartholomeu, Thomé, Matheus o publicano, Thiago filho de Alpheu e Taddeu, Simão Cananeu e Judas Iscariota, o traidor.

16. A palavra Evangelho quer dizer « Boa Nova ». A boa nova que Jesus-Christo annunciava era ser Elle Filho de Deus, o Messias ou Salvador promettido desde o principio do mundo.

17. Jesus-Christo reforçava a sua doutrina com a pratica de numerosos milagres. Fez o primeiro a pedido da sua Santissima Mãe, mudando a agua em vinho nas bodas de Canã, na Galilea.

18. Para testemunhar o seu amor ás creanças, Jesus acariciava-as com as mãos, abraçava-as e abençoava-as dizendo : Deixai vir a mim os pequeninos, porque destes taes é o reino dos céos.

19. Falando aos desgraçados, Jesus dizia: Vinde a mim, vós todos que soffreis, e eu vos consolarei.

20. Jesus recebia os peccadores com bondade, é dizia : En não vim a chamar os justos, mas os peccadores.


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 5

Texto PDF no.5

5a  5b  picture-5b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

4° artigo: Padeceu sob o poder de Poncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado.

 

O Mysterio da Redempção.

1. O mysterio da Redempção é o mysterio do Filho de Deus morto na cruz para resgatar todos os homens.

2. Estas palavras : Padeceu sob o poder de Poncio Pilatos, significam que durante o governo de Poncio Pilatos na Judea foi que Jesus-Christo soffreu as maiores dóres na sua alma e no seu corpo.

3. Na sua alma Jesus soffreu o desconforto, o pavor, uma tristeza mortal: « A minha alma, dizia, está triste de morte ».

4. No seu corpo Jesus-Christo soffreu taes tormentos que o profeta Isaias o chamava « um homem de dõres, um homem ferido por Deus, e despedaçado por via dos nossos crimes ».

5. Não eram necessarios tantos soffrimentos para a nossa redempção, pois que teria bastado a Jesus-Christo derramar uma só gota de sangue, pelo seu merecimento infinito, para a obra da redempção.

6. Quiz Nosso Senhor soffrer assim para nos mostrar ben o seu amor e para nos inspirar um maior horror pelo peccadó que foi a causa da nossa morte.

7. Jesus-Christo soffreu : 1° No jardim das Oliveiras; 2° em casa de Caiphás; 3° em casa de Herodes; 4° em casa de Pilatos; 5° no Calvario.

8. No jardim das Oliveiras Jesus-Christo soffren as dõres da agonia, tão grandes que o fizeram suar um suor de sangue. Foi nesse jardim que Judas, um dos seus Apostolos, o entregou aos seus enimigos dando-lhe um beijo. (Gravura 18.)

9. Em casa de Caiphás, Jesus foi negado tres vezes por São Pedro (gravura 29), esbofeteado, coberto de opprobrios, declarado reu de morte por se dizer filho de Deus.

10. Em casa de Herodes, tetrarcha da Galilea, vindo a Jérusalem para celebrar a Paschoa, vestiram a Jesus uma tunica branca, por escarneo, tratando-o como a um louco.

11. Em casa de Pilatos, açoitaram Jesus-Christo, coroaram-no de espinhos, e condemnaram-no a morrer na cruz, embora o juiz tivesse reconhecido a sua innocencia.

12. No Calvario, deram a beber a Jesus-Christo fel e vinagre e crucificaram-no entre dous ladrões. Pregado na cruz, pediu a seu Pae que perdoasse aos algozes; prometteu o paraiso ao bom ladrão; recommendou sua mãe a São João e deu São João por filho á sua Mãe, e depois de ter dito que tudo estava consummado, entregou o espirito nas mãos do seu Pae.

13. Estas palavras do symbolo: foi morto, significam que a alma de Jesus-Christo se separou de seu corpo, mas a divindade permanceu unida á sua alma e ao seu corpo.

14. Jesus-Christo morreu em Sexta Feira santa, perto das tres horas da tarde.

15. Quando Jesus-Christo morreu, o sol eclipsou-se, a terra tremeu, as rochas abriram-se, o veu do templo rasgou-se de alto a baixo, e muitos mortos resuscitaram, como se vê na gravura, no plano inferior á esquerda.

16. Apoz a morte de Jesus, um soldado rasgou-lhe o lado com una lançada, saindo da ferida sangue e agua.

17. Nosso Senhor permittiu que lhe fizessem esta ferída para mostrar : 1° que nos tinha amado em extremo, vertendo por nós até a ultima gota do seu sangue; 2° que o seu coração permaneceria sempre abertó para derramar sobre nós a abundancia de suas graças.

18. As palavras do symbolo : e sepultado, significam que depois de morto, o corpo de Jesus-Christo foi despregado da cruz e mettido no tumulo.

19. Depois de sepultado Jesus, taparam a entrada do sepulcro com uma grande pedra, que Pilatos mandou sellar, encarregando soldados de guardarem o tumulo.

20. Os Judeus tomaram estas precauções para impedir que fosse roubado o corpó de Jesus, e Deus permittiu-as para tornar mais manifesta a sua resurreição.

 

Via sacra.

21. A Egreja recommenda aos fieis o piedoso exercicio chamado « Via sacra », que lhes recorda em 14 estações a Paixão do Salvador. Concede numerosas indulgencias a quem rezar a Via sacra com sincera devoção e contrição.

 

Explicação da gravura.

22. A gravura representa a condemnação de Jesus por Pilatos, Jesus açoitado, Jesus pregado na cruz e collocado entre dous ladrões, e a sepultura de Jesus.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 6

Texto PDF no.6

6a  6b  picture-6b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

5° artigo : E desceu aos infernos.

 

1. As palavras : e desceu aos infernos, significam que, morto Jesus-Christo, a sua alma desceu aos infernos, onde se demorou todo o tempo que o seu corpo, permaneceu no sepulcro, e que a mesma pessoa de Jesus-Christo esteve ao mesmo tempo nos infernos e no sepulcro. Não deve isso parecer estranho, pois que, embora a alma de Jesus-Christo se separasse do seu corpo, todavia a divindade ficou sempre unida á sua alma e ao seu corpo.

2. Deve entender-se pela palavra inferno os logares occultos, os depositos em que são retidas, como prisioneiras, as almas que não podem gozar logo da beatitude eterna. Neste sentido a Sagrada Escriptura emprega esta palavra em muitas passagens. Foi ainda neste sentido que São Paulo disse que em nome de Jesus-Christo todos os joelhos se dobram no céo, na terra e nos infernos.

3. Não obstante designados todos pelo nome de infernos, estes logares não são eguaes. Um delles é como que uma prisão escurissima e horrivel, oude as almas dos condemnados estão continuamente atormentadas pelos demonios com um fogo que se não pode extinguir. Denomina-se este logar a gehenna, o abismo, e com mais propriedade-o inferno.

4. No segundo destes logares encontra-se o fogo do purgatorio. As almas dos que morreram em graça permanecem ahi durante um certo tempo, até se puri- ficarem de todo, e poderem entrar na patria eterna, onde não pode ter guarida nem haver a sombra do peccado.

5. Ao terceiro destes logares chama-se limbo, e neste eram recebidas, antes da vinda de Jesus-Christo, as almas dos santos, que ficavam ahi em descanço, ah sem nenhum sentimento de dôr, na esperança da sua redempção. E foram propriamente as almas destes santos que esperavam o seu salvador no seio de Abrahão, que Nosso Senhor libertou quando desceu aos infernos.

6. um erro suppôr que Jesus-Christo desceu a estes rogares apenas para fazer brilhar ahi o seu poder. Devemos acreditar firmemente que a sua alma desceu com effeito aos infernos e que se tornou ahi realmente presente, como expressamente o indicam estas palavras de David : « Não deixareis a minha alma nos infernos. »

7. Esta descida de Jesus-Christo aos infernos em nada diminuiu o seu poder e majestade, e as trevas destes logares não embaciaram no mundo o brilho da sua gloria. Pelo contrario, devemos vêr neste facto, não só que era rigorosamente verdadeiro tudo o que se dissera da santidade de Jesus-Christo, como tambem que Este era Filho de Deus, como já o tinha provado pelos seus milagres.

8. Isto se comprehenderá facilmente se compararmos as razões que levaram Jesus a descer aos infernos, com as razões que obrigam os outros homens a encontrar-se ali. Os homens tinham descido ali como captivos, ao passo que Jesus-Christo desceu como aquelle que, sendo o unico livre entre os mortos c o unico victorioso, ia afugentar os demonios que os retinham ali tão severamente encerrados por causa das suas culpas.

9. E desceu não apenas para arrebatar ao demonio os seus proprios despojos, libertando deste captiveiro as almas dos santos Padres e os outros Judeus ali detidos, como ainda para entrar triumphalmente no céo em sua-companhia, o que fez de um modo admirável e glorioso, porque a sua presença derramou uma luz brilhantissima neste logar onde estavam os felizes captivos, dilatando-lhes os corações de urna inconcebivel alegria e fazendo-os gozar da suprema beatitude, que consiste na união com Deus.

 

Explicação da gravura.

10. Esta gravura representa a alma de Jesus-Christo apparecendo no limbo. Figuram no primeiro plano Adão e Eva de joelhos; segnem-se á esquerda, Abrahão brandiudo o gladio contra Isaac; Jacob com seu cajado na mão ; David com a sua Iyra, etc., á direíta, Moysés de cuja frente irradiam raios de luz; Aarão com a sua vara; São José segurando uma açucena. Nosso Senhor permaneceu na companhia delles até a sua resurreição.

11. No plano superior vè-se o inferno onde ardem os demonios e os condemnados. Jesus-Christo não desceu a este abismo de dores, nem do purgatorio; fez todavia sentir aos condemnados a sua acção, dando-lhes a conhecer a sua divindade, e ás almas do purgatorio dando-lhes esperanca da gloria.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 7

Texto PDF no.7

7a  7b  picture-7b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

5° artigo (côntinuação) : Ao terceiro dia resurgiu dos mortos.

 

1° Estas palavras : ao terceiro dia resurgiu dos mortos, significam que Jesus-Christo, ao terceiro dia apoz a sua morte, reuniu a sua alma ao seu corpo pela sua omnipotencia e saiu do tumulo vivo e glorioso.

2. O corpo de Nosso Senhor esteve no tumulo durante tres dias no todo ou em parte, a saber : uma parte da Sexta Feira, todo o sabbado, e uma parte do domingo.

3. Torna-se preciso saber que Jesus-Christo não quiz retardar a sua resurreição até ao fim do mundo, afim de dar uma prova da sua divindade ; mas não quiz tambem ressuscitar immediatamente depois da sua morte, mas só tres dias depois, para dar a conhecer que era verdadeiro homem e que morrera com effeito. Aquelle lapso de tempo era sufficiente para provar a verdade da sua morte.

 

Apparições.

4. Sabemos que Jesus-Christo resuscitou pelo testemunho dos Apostolos e dos discipulos a quem Elle se mostrou muitas vezes depois da resurreição.

5. No dia da resurreição, Jesus-Christo mostrou-se aos Apostolos reunidos no cenaculo e deu-lhes o poder de perdoar os peccados.

6. Algum tempo depois, Jesus-Christo mostrou-se a muitos apostolos que estavam pescando no mar de Galilea. Foi nesta apparição que o Redemptor elevou São Pedro á dignidade de pastor supremo da Egreja.

7. Antes de subir ao céo, Jesus-Christo mostrou-se ainda uma vez aos apostolos, ordenando-lhes que prégassem o Evangelho a todas as nações.

8, Devemos crêr no testemunho dos apostolos em favor da resurreição de Jesus, porque estes deram a vida para attestar que tinham visto Jesus-Christo resuscitado. Não podiam ser impostores os homens que se deixavam matar para confirmacão do seu testemunho.

 

Qualidades dos corpos resuscitados

9. O corpo de Jesus-Christo resuscitado tinha todas as qualidades dos corpos gloriosos, a saber; impassibilidade, esplendor, agilidade e subtileza.

10. Por « impassibilidade » entendo que o corpo de Jesus-Christo não podia soffrer nem morrer.

11. Por « esplendor » entendo que o corpo de Nosso Senhor era brilhante como o sol; Jesus porém não quiz apparecer assim antes da sua Ascensão.

12. Por « agilidade » entendo que o corpo de Jesus-Christo se podia transportou a grandes distancias, até da terra ao céo, com rapidez do relampago.

13. Por « subtileza » entendo que o corpo de Jesus-Christo podia atravessar sem difficuldade os corpos mais rijos. Foi assim que Elle saiu do tumulo sem arredar a pedra que tapava a entrada.

14. Reunindo a sua alma ao seu corpo, Jesus-Christo fez desapparecer a maior parte das chagas que recebera durante a paixão. Apenas conservou as das mãos, dos pés e do lado.

15. E conservou-as : 1° para as mostrar aos apostolos em testemunho da sua resurreicão; 2° para as apresentar a seu Pae, intercedendo por nós; 3° para confundir os peccadores no dia do juizo, fazendo-lhes vêr que tanto soffreu por elles como pelos justos.

16. Foi necessario que Jesus resuscitasse, atim de fazer brilhar a justiça de Deus, pois era um acto absolutamento digno da sua justiça elevar aquelle que, para lhe obedecer, fóra desprezado e coberto dos maiores opprobrios. São Paulo refere esta razão na sua epistola aos Filippenses : « Humilhou-se a si mesmo, feito obediente até á morte, e morte da cruz, pelo que Deus tambem o exaltou, e lhe deu um nome que é sobre todos os nomes. »

 

Explicação da gravura.

17. A gravura representa a « resurreição do Salvador. » As numerosas mulheres que vemos á esquerda vinham com o fim de embalsamar o corpo de Jesus, quando de repente se sentiu um grande tremor de terra. Um anjo veiu arredar a pedra do sepulcro e sentou-se nelle. Os guardas, tomados de assombro, ficaram como mortos. Quando entraram no santo Sepulcro as santas mulheres ficaram cheias de temor ao verem o anjo. Mas elle lhes disse : « Não temais; buscaes a Jesus de Nazareth que foi crucificado. Não está aqui; vêde o logar onde o tinham posto.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 8

Texto PDF no.8

8a  8b  picture-8b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

6° Artigo : Subiu aos céos.

 

1. Estas palavras : subiu aos céos, significam que Jesus-Christo se elevou ao ceo pelo seu proprio poder e em presença de um grande numero de seus discipulos, no quadragesimo dia depois da sua resurreição,

2. Jesus-Christo subiu ao céo no dia da Ascensão.

3. Antes da Ascensão, Jesus-Christo estava no céo como Deus, não como homem. Depois da Ascensão está no céo como Deus e como homem.

4. Nosso Senhor subiu ao céo: 1° para tomar posse da gloria que lhe era devida; 2° para nos preparar ahi logar; 3° para interceder por nós junto do seu pae; 4° para nos enviar o Espirito Santo.

5. A Ascensão de Nosso Senhor é contada assim no capitulo I dos Actos dos Apostolos, versiculos I a II : « No meu primeiro discurso fallei na verdade, ó Theophilo, de todas as cousas que Jesus começou a fazer e a ensinar, até ao dia em que, dando preceitos pelo Espirito Santo aos apostolos que elejeu, foi assumpto acima. Aos quaes tambem se manifestou a si mesmo vivo, com muitas provas, depois da sua paixão, apparecendo-lhes por quarenta dias e falando-lhes do reino de Deus. E comendo com elles lhes ordenou que não sahissem de Jerusalem, mas que esperassem a promessa do Pae que ouvistes (disse Elle) da minha boca. Porque João na verdade baptisou em agua, mas vós sereis baptizados no Espirito Santo não muito depois destes dias. Portanto, os que se haviam congregado lhe perguntavam, dizendo : Senhor, dar-se-ha caso que restituas neste tempo o reino a Israel? E Elle lhes disse : Não é da vossa conta saber os tempos nem momentos que o Pae reservou ao seu poder; Mas recebereis a virtude do Espirito Santo que descerá sobre vós, e me sereis testemunhas em Jerusalem, e em toda a Judea e Samaria, e até ás extremidades da terra. E tendo dito isto, vendo-o elles, se foi elevando e o recebeu uma nuvem que o occultou a seus olhos. E como estavam olhando para o céo quando elle ia subindo, eis que se puzeram ao lado delles dois varões com vestiduras brancas, os quaes tambem lhes disseram : Varões Galileus, que estais olhando para o céo? Este Jesus que, separando-se de vós, foi assumpto ao céo, assim virá, do mesnío modo que o haveis visto ir ao céo.

6. Jesus-Christo subiu ao céo por sua propria virtude, sem ser arrebatado por qualquer forca estranha, como aconteceu a Elias, por exemplo, que para lá foi transportado num carro do fogo, ou como o profeta Habacuc, ou o diacono Filipe que, sustidos nos ares pela força divina, assim percorreram consideraveis distancias.

7. Jesus-Christo subiu ao céo não sómente por effeito desta virtude omnipotente que lhe dava a sua divindade, mas ainda pela que possuia como homem.

8. Semelhante prodigio ultrapassava as forças da natureza humana, mas esta virtude de que era dotada a alma bemaventurada do Salvador podia transportar o seu corpo para onde Elle quizesse. Por outro lado, o corpo assim em estado de glorificação, obedecia facilmente ás ordens da alma quando esta lhe ímprimia o movimento.

9. Os outros artigos do symbolo que se applicam a Nosso Senhor mostram-nos a sua humildade e os seus prodigiosos abatimentos. Nada se pode imaginar, com effeito, de mais baixo e abjecto para o Filho de Deus que haver tomado a nossa natureza com todas as suas fraquezas, e ter querido soffrer e morrer por nós. Mas ao mesmo tempo, ao proclamar no artigo precedente que Elle resuscitou dos mortos, e neste artigo que subiu ao céo e está sentado á direita de Deus Padre, nada mais admiravel e magnifico podemos dizer para celebrar a sua gloria e a sua majestade divina.

 

Explicação da gravura.

10. A gravura representa a Ascensão de Jesus-Christo sobre o monte das Oliveiras. Esta montanha tem tres cumes, e foi do cume central que Nosso Senhor subiu ao céo na presença das santas mulheres e dos seus discipulos, e deixando, diz-se, o Signal do seu pé esquerdo gravado na rocha.

11. Quando Jesus-Christo desaparecia na nuvem luminosa aos olhos de seus discipulos, tres anjos lhes surgiram, dizendo : « Varões Galileus, que estais olhando para o céo? Este Jesus que, separando-se de vós, foi assumpto ao céo, assim virá do mesmo modo que o haveís visto vir ao céo. »

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 9

Texto PDF no.9

9a  9b  picture-9b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

6° artigo (continuação) : Está sentado á mão direita de Deus Padre todo poderoso.

 

1. O symbolo diz-nos que Jesus-Christo está sentado, para dar-nos a entender que Elle descança e gosa no céo duma felicidade que não terá fim.

2. Jesus está sentado no céo como um rei no seu throno e como um juiz no seu tribunal. Nesta dupla qualidade exerce o poder legislativo e judicial de que falava, quando se exprimia assim antes de deixar o mundo : « Todo o poder me foi dado no céo e sobre a terra. »

3. Accrescenta o symbolo que Jesus-Christo está sentado á mão direita de Deus Padre. Não quer isto dizer que Deus tenha esquerda e mão direita. Como o logar de honra é a direita, estas palavras significam que Jesus-Christo, egual a seu Pae como Deus, está acima de todas as creaturas como homem.

4. Embora devamos a nossa salvação e redempção á paixão de Jesus-Christo, cujos merecimentos abriram aos justos as portas do céo, comtudo é preciso não vêr na Ascensão apenas um modelo posto deante de nossos olhos para nos ensinar a elevar os pensamentos e a subir ao céo em espirito. A Ascensão communicanos tambem uma força divina para attingir este fim; sublima os merecimentos da nossa fé, purifica a nossa esperança, e aponta-nos o céo ao amor do nosso coração.

5. A Ascensão sublima os merecimentos da nossa fé, porque a fé tem por objecto as cousas que se não vêem e que estam acima da razão e da intelligencia dos homens. Logo, se Nosso Senhor não nos tivesse deixado, a nossa fé perderia o seu merecimento, pois que o proprio Jesus-Christo proclamou felizes aquelles que crêram sem ter visto.

6. E é muito de molde fortificar a esperança nos nossos corações. Crendo que Jesus-Christo, como homem, subiu ao céo, e que tomou a natureza humana á direita do seu Padre, temos um motivo forte para esperar que nós, que somos seus membros, tambem um dia subiremos ao céo para nos reunirmos ao nosso Chefe, sobretudo depois que o mesmo Senhor nos assegurou essa reunião nos seguintes termos : « Pae, a minha vontade é que, onde eu estou, estejam tambem os que tu me deste para verem a minha gloria. »

7. Uma das maiores vantagens que esta nos concede ainda é apontar-nos o céo ao amor do nosso coração, e have-lo inflammado com as chammas do Espirito divino. Tem-se dito com toda a verdade que onde está o nosso thesouro ahi está o nosso coração. Sem duvida pois, que se Jesus continuasse permanecendo comnosco, limitariamos todos os nossos pensamentos a conhece-lo de vista e a gozar do seu tracto ; só veriamos n’Elle homem que nos encheu de beneficios, sentindo por Elle apenas uma especie de affecto muito natural.

8. Subindo ao céo, Jesus-Christo espiritualisou o nosso amor, e como, por via da sua ausencia. só pelo pensamento o podemos attingir, achamo-nos por isso mesmo facilmente dispostos a adora-lo e a ama-lo como Deus. E’ o que por um lado nos ensina o exemplo dos Apostolos. Emquanto o Salvador permaneceu com elles pareciam consagrar-lhe sentimentos apenas humanos. E por outro lado é o que nos confirma o proprio testemunho de Nosso Senhor quando diz : é bom para vós que eu me vá. Com effeito, esse amor imperfeito com que o amavam os apostolos em quanto o tinham junto de si, necessitava de ser aperfeiçoado pelo amor divino, isto é, pela descida do Espirito Santo. E por isso accrescentou logo: Se eu me não vou, o Paracleto não descerá sobre vós.

9. A Ascensão foi o inicio duma nova expansão para a Egreja, esta verdadeira casa de Jesus-Christo, cuja direcção e governo iam ser confiados á virtude do Espirito Santo. Até então e para o representar junto dos homens, Jesus collocara Pedro á frente da Egreja como seu primeiro pastor e supremo sacerdote. D’ahi em deante, e alem dos doze, Jesus não cessou de escolher outros a uns dos quaes fez apostolos, outros profetas, outros evangelistas, aquelles pastores e doutores, continuando, do logar onde está sentado direita de Deus Padre, a distribuir a cada qual os dons que lhe convêm, porque O Apostolo aflirma que, a graça é dada a cada um de nós segundo medida do dom de Jesus-Christo.

 

Explicação da gravura.

10. A gravura representa a Jesus sentado á direita de Deus Padre. Cercam-no os Anjos e os santos.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 10

Texto PDF no.10

10a  10b  picture-10b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

7° artigo : Donde ha de vir a julgar os vivos e os mortos.

 

1. Ensinam-nos estas palavras: donde ha de vir a julgar os vivos e os mortos, que Jesus-Christo virá no fim do mundo com toda a majestade e de um modo visivel, julgar todos os homens e dar a cada um segundo as suas obras.

2. Pela expressão vivos, entendo : 1° os bons ou os justos; 2° aquelles que estiverem ainda com vida quando apparecer Jesus-Christo, mas que morrerão e resuscitarão num instante.

3. Por mortos entendo ; 1° os máos ou reprobos ; 2° os que tiverem morrido desde o principio do mundo, mas que resuscitarão afim de serem julgados.

4. Seremos julgados pelo bem ou pelo mal que tivermos practicado por pensamentos, palavras, acções e omissões. Este julgamento será tão rigoroso que Jesus-Christo declara no Evangelho que teremos de dar conta de todas as palavras ociosas, isto é, de todas as palavras inuteis ou para nós ou para o nosso proximo.

5. Sabemos que o juizo final se realizará quando acabar o mundo, mas ignoramos quando o mundo deixará de existir. Deus não no-lo quiz revelar para estarmos sempre preparados.

6. Annunciarão a chegada proxima do Supremo Juiz muitos signaes de que nos fala o Evangelho : escurecerá o sol, a lua deixará de dar claridade, cairão as estrellas do céo, haverá tremores de terra e as ondas do mar ouvir um ruido horrivel.

7. São Marcos narra-o nos seguintes termos : « Naquelles dias haverá tribulações taes, quaes não houve desde o principio das creaturas que Deus fez até agora, nem haverá. De sorte que, se o Senhor não abreviasse aquelles dias, nenhuma pessoa se salvaria; mas Elle os abreviou em attenção aos escolhidos de que fez escolha. E se então vos disser alguem : Reparai, aqui está o Christo, ou, ei-lo, está acolá, não lhe deis credito; porque se levantarão falsos Christos e falsos profetas, que farão prodigios e portentos para enganar, se possivel fõra, até aos mesmos escolhidos. Estai vós pois sobre aviso; olhai que eu vos preveni de tudo. Mas naquelles dias, depois daquella tribulação, o sol se escurecerá e a lua não dará o seu resplendor, e cairão as estrellas do céo e se commoverão as virtudes que estão nos céos. E então verão o Filho do Homem que virá sobre as nuvens com grande poder e majestade. E então enviará os seus anjos e ajuntará os seus escolhidos de todos os quatro ventos, desde a extremidade da terra até á extremidade do céo. Aprendei pois o que vos digo duma comparação tirada da figueira. Quando os seus ramos estão já tenros e nascidas as folhas, conheceis que está perto o estio. Assim tambem quando virdes que acontecem estas cousas, sabei que está perto e já á porta. Na verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isto seja cumprido. Passará o céo e a terra, mas não passarão as minhas palavras. A respeito porêm deste dia ou desta hora, ninguem sabe quando ha de ser, nem os anjos nos céos, nem o Filho, mas só o Pae. Estai sobre aviso, vigiai e orai, porque não sabeis quando chegará esse tempo. Assim como um homem que, ausentando-se para longe, deixou a sua casa e designou a cada um dos seus servos a obra que devia fazer, e mandou ao porteiro que estivesse de vigia : vigiai pois (visto que não sabeis quando virá o senhor da casa, se de tarde, se á meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã), para que não succeda que, quando vier de repente, não vos ache dormindo. O que eu porém vos digo a vós, isso digo a todos : vigiai.

8. Além do juizo final, ha o juizo particular, que se faz quando morremos. No juizo particular a alma comparece sosinha deante apenas de Deus; no juizo final a alma reunida ao corpo será julgada deante de todos os homens.

9. O juizo final não modificará a sentença proferida no juizo particular, mas servirá para fazer brilhar deante de todos a justiça de Deus, a divindade de Jesus-Christo, a gloria dos bons, a confusão dos máos.

 

Explicação da gravura.

10. Representa a gravura o juizo final. Jesus esta sentado sobre nuvens, cercado pelos anjos santos, pecedido da cruz. A Virgem está á sua direita, e Jesus diz aos eleitos : Vinde, bemditos de meu Pae, possuir o reino que vos tinha preparado desde a creação do mundo.

11. O anjo vingador esta a esquerda, arremessando os reprobos para o inferno, depois do Supremo Juiz lhes ter feito ouvir a terrivel sentença: « Ide-vos de mim malditos; ide para a fogo eterno, preparado para o demonio e seus anjos.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 11

Texto PDF no.11

11a  11b  picture-11b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

8° artigo : Creio no Espirito Santo.

 

1. O Espirito Santo é a terceira pessoa da Santissima Trindade, que procede do Padre e do Filho.

2. O Espirilo Santo é Deus; a Egreja definiu esta verdade, dizendo nos seus symbolos que o Espirito Santo deve ser adorado conjuntamente com o Padre e o Filho.

3. A mesma verdade nos ensina tambem a Sagrada Escriptura, que dá ao Espirito Santo o nome de Deus. Quando São Pedro reprehendeu Ananias e Saphira por terem mentido ao Espirito Santo, exprimiu-se nestes termos : Não mentiste a homens, mas a Deus.

4. As seguintes palavras de Nosso Senhor ensinam-nos que o Espirito Santo procede do Padre e do Filho : Quando fòr chegado o Consolador, esse Espirito de verdade que procede do Padre, e que eu vos enviarei da parte do meu Pae, Elle dará testemunho de mim.

5. O Espirito Santo é pois egual em tudo ao Pae e ao Filho; é como elles todo poderoso, eterno, de uma perfeição de grandeza de uma sabedoria infinitas.

6. Chama-se ordinariamente ao Espirito Santo : 1° Dom de Deus, porque é o dom mais precioso que Deus tem concedido aos homens; 2° Consolador, porque nos consola em nossas afllicções; 3° Espirito de oração, porque nos ajuda a orar.

7. Chama-se santo, porque Elle é santo por sua natureza e porque é Elle que nos santifica.

8. A santidade do Espirito Santo difere da dos santos que nós honramos com o nosso culto: 1° em que o Espirito Santo é santo por si mesmo e por sua natureza, emquanto os santos se tornaram taes pela graça de Deus; 2° em que o Espirito Santo é infinitamente santo, emquanto os santos apenas o são em certo grau.

9. O Espirito Santo desceu muitas vezes sobre a terra de um modo visivel. Desceu em forma de pomba sobre Nosso Senhor Jesus-Christo no dia de seu baptismo e sobre os apostolos e discipulos em forma de linguas de fogo no dia de Pentecostes.

10. No dia de Pentecostes, diz a Escriptura Sagrada, ouviu-se de repente como que o ruido de um vento impetuoso que soprava do céo e que encheu toda a casa onde estavam os apostolos. No mesmo instante viram estes como que umas linguas de fogo que se dividiram, e pousaram sobre suas cabeças. E logo ficaram cheios do Espirito Santo, e começaram a falar diversas linguas.

11. Depois de terem recebido o Espirito Santo, os apostolos foram prégar o Evangelho em todas as nações.

12. Antes da prégação dos apostolos, todos os povos da terra, á excepção dos Judeus, adoravam creaturas.

13. Da prégação dos apostolos resultou a conversão duma multidão immensa de Judeus e pagãos, que abraçaram a religião christã.

14. A religião christã não se estabeleceu sem obstaculos; foi combatida durante trezentos annos, e milhões de christãos soffreram toda a especie de torturas e a propria morte em nome de Jesus-Chisto.

15. A destruição das falsas religiões na maior parte do mundo conhecido foi o maior milagre que o Espirito Santo operou por meio dos apostolos, bastando por si só para provar a divindade do christianismo.

16. O Espirito Santo tambem se nos manifesta de um modo invisivel pelas graças que derrama nas nossas almas afim de as sanctificar.

17. O Espirito Santo habita em nós, quando nos achamos em estado de graça; por isso São Paulo diz que somos os templos do Espirito Santo.

18. O Espirito Santo governa a Egreja, dando-lhe força para resistir aos seus enimigos e preservando-a de qualquer erro no seu ensino.

19. O Espirito Santo dá ainda á Egreja todas as graças e todos os dons necessarios á sua conservação, como o dom dos milagres e o dom de profecia.

20. Devemos orar muitas vezes ao Espirito Santo porque, sem o seu auxilio; nada podemos fazer de util para a nossa salvação.

21. Devemos evitar afastar o Espirito Santo da nossa alma pelo peccado mortal, e contrista-lo pelo peccado venial.

 

Explicação da gravura.

22. Esta gravura representa o cenaculo onde os apostolos e discipulos se reuniram depois da Ascensão do Senhor, aguardando a descida do Espirito Santo e orando em companhia da Santissima Virgem e de muitas santas mulheres.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 12

Texto PDF no.12

12a  12b  picture-12b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

9° artigo : Creio na santa Egreja catholica.

 

Constituição do Egreja.

1. A Egreja é a sociedade dos fieis que professam a religião de Nosso Senhor Jesus-Christo sob a direccão do Papa e dos bispos.

2. Entende-se por fieis, aquelles que, estando baptizados, crêem tudo o que a Egreja ensina, submettendo-se aos pastores legitimos.

3. O Papa é o vigario de Jesus-Christo, o successor de São Pedro, o chefe visivel e o doutor de toda a Egreja, e pae commum dos pastores e dos fieis.

4. O primeiro papa foi São Pedro, que Jesus-Christo nomeou chefe da Egreja universal.

5. O Papa é successor de São Pedro porque é bispo de Roma, e foi em Roma que São Pedro estabeleceu a sua residencia e soffreu o martyrio.

6. Os pastores legitimos da Egreja são, com o Papa, os bispos, que Jesus-Christo encarregou de instruir e governar a sua Egreja.

7. Os bispos são successores dos apostolos, encarregados de governar as dioceses, sob a autoridade do Papa.

8. Os curas são padres que os bispos escolhem para estar á frente das parochias.

9. Os membros da Egreja são os individuos baptisados e que acreditam o que a Egreja ensina, estando sujeitos ao nosso Santo Padre o Papa; e ao seu bispo.

10. Não fazem parte da Egreja os infieis, os herejes, os schismaticos, os apostatas e os excommungados.

11. Um infiel é o individuo não baptisado e que não crê em Jesus-Christo.

12. Um hereje é o individuo baptisado que recusa obstinadamente crêr uma ou mais verdades reveladas por Deus, e que a Egreja ensina como artigo de fé.

13. Um schismatico é o individuo baptisado que se separa da Egreja negando-se a reconhecer os pastores legilimos, e a obedecer-lhes.

14. Um apostata é o individuo baptisado que renega a fé de Jesus-Christo depois de a ter professado,

15. Um excommungado é o individuo baptisado que a Egreja eliminou do seu seio por causa dos seus crimes.

16. Os peccadores são membros da Egreja, mas são membros mortos.

17. E’ uma grande desgraça não pertencer á Egreja, porque não podem ser salvos aquelles que voluntariamente por sua culpa estam fora do gremio da Egreja.

 

Caracteres da verdadeira Egreja.

18. Ha uma só Egreja verdadeira, porque uma só foi fundada por Jesus-Christo. São quatro os caracteres ou signaes para a reconhecer : é uma, santa, catholica e apostolica.

19. A Verdadeira Egreja é a Egreja romana, que tem por chefe o Papa, bispo de Roma e successor de São Pedro.

20. A Egreja romana é uma, porque todos os seus membros crêem as mesmas verdades e obedecem ao mesmo chefe visivel, que é o Papa.

21. E’ santa, porque nos offerece todos os meios para nos santificarmos, e sempre tem formado santos.

22. E’ catholica ou universal, porque está espalhada por toda a terra e sempre tem subsistido desde Jesus-Christo.

23. E’ apostolica, porque foi fundada pelos apostolos, é governada pelos seus successores, e crê e ensina a sua doutrina.

 

Explicação da gravura.

24. Ao alto, Jesus-Christo institue São Pedro chefe visivel da Egreja. Entregando-lhe o baculo pastoral dá-lhe a missão de apascentar os seus cordeiros e as suas ovelhas, isto é, de governar os pastores e os fieis de que se compõe a Egreja e que constituem o rebanho de Nosso Senhor Jesus-Christo.

25. Em baixo vê-se: 1° O Papa, vestido de hahitos brancos e tendo na cabeça uma tiara; 2° de ambos os lados do Papa vêem-se os cardeaes; 3° em frente do papa um Arcebispo com o pallium; 4° um bispo com a mitra e o baculo, e numerosos palados, religiosos e religiosas; 5° mais acima e á direita, um padre ministrando a sagrada communhão, um outro prégando o Evangelho aos fieis, e um missionario que de crucifixo na mão annuncia Jesus-Christo aos inficis.

26. A Egreja durará até ao fim do mundo, e triumphará de todas as perseguições, segundo a promessa de seu divino fundador, Jesus-Christo.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 13

Texto PDF no.13

13a  13b  picture-13b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

9° artigo (continuação): No communicação dos santos.

 

1. Estas palavras : creio na communicação dos santos, significam que os bens espirituaes da Egreja são communs a todos os seus membros unidos entre si como os membros de uma mesma familia ou de um mesmo corpo.

2. A palavra communicacão quer dizer aqui communidade. Assim como ha communidade de bens entre todos os membros de uma mesma familia, assim tambem ha na Egreja communidade de bens espirituaes entre todos aquelles que a compõem.

3. Dá-se o nome de santos, não só aos bemaventurados que estam no céo e ás almas do purgatorio, como ainda aos fieis da terra, porque fõram santificados pelo baptismo e são chamados a viver uma vida santa.

4. Os bens espirituaes da Egreja são : os merecimentos de Nosso Senhor Jesus-Christo, da Santissima Virgem e dos santos, os sacramentos, o santo sacrificio da missa, as orações e as boas obras.

5. A communicação dos santos não existe apenas entre os fieis que vivem sobre a terra, mas ainda entre a Egreja triumphante, a Egreja militante e a Egreja padecente.

6. A Egreja triumphante é a reunião dos santos que triumpham com Jesus-Christo no céo.

7. A Egreja militante é a reunião dos fieis que combatem na terra contra os inimigos da salvação..

8. A Egreja padecente é a reunião das almas dos justos que acabam de expiar as suas culpas nas penas do purgatorio.

9. O purgatorio é este logar de soffrimentos onde as almas dos justos acabam de expiar as suas culpas antes de entrar no céo.

10. Estam no purgatorio aquelles que morreram em estado de graça, não se achando todavia completamente isentos de peccados veniaes ou que não satisfizeram ainda inteiramente á justiça de Deus.

11. A existencia do purgatorio é certa. Com effeito Jesus-Christo diz no Evangelho que as blasphemias contra o Espirito Santo não serão perdoadas neste mundo nem no outro. Nosso Senhor dá nos assim a entender que outros peccados serão perdoados depois desta vida. Ora não o podem ser no céo, onde não entra o peccado, nem no inferno, onde não ha perdão. Portanto se-lo-hão no purgatorio.

12. Achamo-nos em communicação com os santos que estam no céo emquanto oramos por elles, e elles intercedem por nós.

13. Estamos em communicação com as almas do purgatorio, emquanto as aliviamos com as nossas orações, as nossas boas obras, pelas indulgencias e sobretudo pelo santo sacrificio da missa.

14. As orações que ordinariamente se rezam para as almas do purgatorio são : o officio dos mortos, o psalmo De profundis, e a invocação : que as almas dos fieis defuntos descans em paz pela misericordia de Deus.

15. Os fieis da terra estam em communicação entre si emquanto cada um delles aproveita das orações e boas obras que se fazem em toda a Egreja.

16. Nem todos participamos destes bens no mesmo grau, que é maior ou menor segundo os nossos merecimentos.

17. Os proprios peccadores têem uma qualquer parte nesta communicação de bens espirituaes, de que lhes advêem graças que podem aproveitar para se converterem.

18. Não participam de modo algum dos bens espirituaes da Egreja aquelles que não são membros della, como os herejes, schismaticos, e excommungados.

19. Por estas palavras : Fora da Egreja não ha salvacão devemos entender que é absolutamente impossivel a salvação àquelles que voluntariamente e de má fé se conservam fóra da verdadeira Egreja.

 

Explicação da gravura.

20. Representa esta gravura a communicação dos santos, na multidão dos santos e dos anjos que estam no céo, nos fieis da terra e nas almas do purgatorio.

21. Na parte superior da gravura os Anjos e os santos adoram as tres pessoas da Santissima Trindade, rogando-lhes pelos fieis que vivem sobre a terra.

22. Ao centro, estes fieis assistem ao santo sacrificio da missa, invocando os santos do céo, orando uns pelos outros e pedindo a libertação das almas do purgatorio.

23. O plano inferior representa o purgatorio. As aguas refrescantes que os dois anjos derramam sobre as almas symbolisam o alivio que se lhes obtem pelo santo sacrificio da missa.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 14

Texto PDF no.14

14a  14b  picture-14b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

Decimo artigo : Creio na remissão dos peccados

 

1. Crêmos por este artigo : 1° que podemos alcançar de Deus a remissão de nossos peccados; 2° que Jesus-Christo deixou na sua Egreja remedio para perdoar toda a sorte de peccado.

2. Podemos alcançar o perdão de todos os peccados, por mui graves e enormes que sejam.

3. Deus perdoa os peccados por meio dos ministros da Egreja a quem Jesus-Christo conferiu esse poder. Esses ministros são os bispos e os sacerdotes.

4. Recebemos o perdão dos peccados principalmento pelos sacramentos do Baptismo e da penitencia. O peccado original é-nos perdoado pelo Baptismo, e os peccados mortaes pelo sacramento da Penitencia, e tambem pela contrição perfeita acompanhada do voto de nos confessarmos.

5. Os peccados veniaes podem ser perdoados sem o ministerio exterior da Egreja ; além dos sacramentos, as orações, as esmolas e outras boas obras podem obter a remissão delles.

6. Os peccados são perdoados pelos merecimentos de Jesus-Christo.

7. O beneficio da remissão dos peccados é uma obra não inferior á creação do mundo, e ao resuscitar dos mortos.

8. Só Deus é que póde perdoar os peccados. Sendo Jesus-Christo Deus, tinha tambem aquelle poder; tinha-o tambem como homem, porque a natureza humana estava unida nelle á divindade, e vêmos no Evangelho que usou muitas vezes daquelle poder. Como primeiro exemplo está a cura do paralytico. Um dia que Jesus estava em Capharnaum, vieram a elle trazendo um paralytico conduzido por quatro ás costas, e como não podessem pôr-lh’o deante por ser muita a gente, destelharam a casa onde estava, e tendo feito uma abertura, arriaram o leilo onde jazia o paralytico, E quando Jesus viu a fé delles, disse ao paralytico : Filho, perdoados te são os teus peccados. E estavam alli assentados alguns dos Escribas que lá nos seus corações estavam dizendo : Como falla assim este homen? Elle diz uma blasfemia. Quem pode perdoar peccados senão só Deus? Jesus conhecendo logo no seu espirito o que elles pensavam desta maneira dentro de si, lhes disse : Porque estais vós pensando isso dentro de vossos corações? Qual é mais facil : dizer ao paralytico : os teus peccados te são perdoados; ou dizer : Levanta-te, toma o teu leito e anda? Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder de perdoar peccados (disse ao paralytico) a ti te digo : Levanta-te, toma o teu leito, e anda. E no mesmo ponto, elle se levantou, e tomando e seu leito, se foi á vista de todos, de maneira que se admiraram todos e louvaram a Deus dizendo : Nunca tal vimos. (Marcos II, 3-13).

9. Na sua infinita bondade Nosso Senhor communicou esse poder a Pedro, e, no dia mesmo da sua resurreição, a todos os Apostolos, e por elles a todos seus successores legitimos.

    Veiu Jesus pelas partes de Cesarea de Filippe e fez a seus discipulos esta pregunta dizendo : Quem dizem os homens que é o Filho do homem? E elles responderam: Uns dizem que João Baptista, outros que Elias, outros que Jeremias ou algum dos prefetas. Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que sou eu? Respondendo Simão Pedro, disse : Tu és o Christo, Filho de Deus vivo. E respondendo Jesus, lhe disse : Bemaventurado és, Simão, filho de João, porque não foi a carne nem o sangue que t’o revelou, mas sim meu Pae que está nos céus. E tambem eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha egreja, e as portas do inferno não prevale contra ella. E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que desatares sobre a terra, será desatado tambem nos céus. (Matt. XVI, 13-19.)

    Na tarde deste mesmo dia (da resurreição) e estando fechadas as portas da casa onde os discipulos se achavam juntos, por medo que tinham dos Judeus, veio Jesus e poz-se em pé no meio delles, e disse-lhes : Paz seja convosco. E dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Alegraram-se pois os discipulos de terem visto a Jesus. E elle lhes disse segunda vez : Paz seja convosco, Assim como o Pae me enviou a mim, tambem eu vos envio a vós. Tendo dito estas palavras, assoprou sobre elles, e disse-lhes : Recebei o Espirito Santo; aos que vós perdoardes os peccados, ser-lhes-hão elles perdoados; e aos que vós os retiverdes, ser-lhes:hão elles retidos. (João. xx, 19-23.)

 

Explicação da gravura.

10. A gravura representa a São Pedro recebendo de Nosso Senhor as chaves, com o poder de fechar e de abrir, de ligar e de desatar, isto é de perdoar ou não os peccados.

 


 

Catecismo Ilustrado – Texto & imagem no. 15

Texto PDF no.15 

15a  15b  picture-15b

O SYMBOLO DOS APOSTOLOS

Undecimo artigo : Creio na resurreição da carne.

 

1. Este artigo nos ensina que, no fim do mundo, todos os homens hão de resuscitar tomando cada um o mesmo corpo que dantes tinha.

2. Isso é possivel pela omnipotencia divina, á qual nada é impossivel.

3. Dizemos a resurreição da carne e não do homem todo, para denotar que a alma não morre, mas só o corpo, e por isso deve resurgir sómente a carne.

4. Os corpos hão de resuscitar para terem parte no premio ou na pena, já que tiveram parte no bem ou no mal durante a vida.

5. Todos os homens resuscitarão, tanto os bons como os máos, mas com esta différença : que os escolhidos terão os dotes dos corpos gloriosos, e não assim os reprobos.

6. Os dotes dos corpos gloriosos são : a impassibilidade, que é a isenção de toda a dôr e miseria; a claridade, que é o resplendor da alma redundando no corpo; a agilidade, que é a isenção do peso que hoje subjuga o corpo; a subtileza que designa a perfeita submissão do corpo ao commando da alma.

7. Os corpos dos reprobos não terão esses dotes e serão susceptiveis de toda a especie de soffrirnentos.

8. A resurreicão será no fim do mundo, antes do juizo final. Ouvida a sentença do juizo final, os resuscitados hão de ficar no mesmo logar onde Deus os puzer, os bons na bemaventurança eterna em companhia de Jesus-Christo e dos Anjos; os reprobos, no inferno para sempre em companhia dos demonios.

9. Milagre de Jesus resuscitando a Lázaro, no evangelho de São Joãe : Estava enfermo um homem chamado Lazaro, que era da aldeia de Bethania, onde viviam Maria e Martha, suas irmãs. Mandaram poissuas irmãs dizer a Jesus : Senhor, está enfermo aquelle que tu amas. Ouvindo isto Jesus, disse-lhes : Esta enfermi dade não se encaminha a morrer, mas a dar gloria a Deus, para o Filho de Deus ser glorificado por ella. Ora Jesus amava Martha, e a sua irmã Maria, e a Lazaro. Tendo ouvindo pois que Lazaro estava deixou-se ficar ainda dois dias no mesmo logar. Passado isto, disse a seus discipulos : Tornemos outravez para a Judèa. Disseram-lhe os discipulos : Mestre, ainda agora te queriam apedrejar os Judeus e tu vaes outra vez para lá? Respondeu-lhes Jesus : Não são doze as horas do dia? Aquelle que caminhar de dia não tropeça, porque vê a luz deste mundo; porém o que andar de noite tropeça, porque lhe falta a luz. Depois lhes disse : Nosso amigo Lazaro dorme, mas eu vou desperta-lo do somno. Disseram-lhe então os discipulos: Senhor, se elle dorme, está são. Mas Jesus tinha fallado da sua morte, e elles entenderam que fallava do dormir do somno. Disse lhes pois Jesus abertamente : Lazaro é morto, e eu por amor de vós folgo de me não ter achado lá para que creais; mas vamos a elle. Chegou enfim Jesus e achou que Lazaro estava na sepultura havia já quatro dias. (Estava Bethania em distancia de Jerusalem perto de quinze estadios.) Muitos dos Judeus tinham vindo a Martha e a Maria para as consolarem na morte de Seu irmão. Martha, quando ouviu que vinha Jesus, saiu a recebe-lo, e Maria ficou em casa. Disse então Martha a Jesus : Se tu houveras estado aqui, não morrêra o meu irmão. Mas tambem sei agora que tudo o que pedires a Deus, Deus o concederá. Respondeu Jesus : Teu irmão ha de resurgir. Disse-lhe Martha : En sei que elle ha de resurgir na resurreição do ultimo dia. Disse-lhe Jesus : Eu sou a resurreição e a vida; o que crê em mim ainda que esteja morto, viverá, e tudo o que vive e crê em mim não morrerá eternamente. Crês isso? Ella lhe disse : Sim, Senhor, eu já estou na crença que tu és o Christo Filho de Deus vivo. Retirou-se então Martha, e foi chamar a sua irmã a quem disse; Chegou o Mestre e te chama. Ella ouvindo isso, levantou-se logo e foi buscalo, porque ainda Jesus não tinha estrado, mas estava no logar onde o encontrou Martha….. Maria assim que o viu, lançou-se aos seus pés e disse : Senhor, se tu houveras estado aqui, não morrera meu irmão. Jesus porém, quando a viu chorar a ella e aos Judeus que a acompanhavam, bramiu em seu espirito e turbou-se a si mesmo, e preguntou : Onde o puzestes? Responderam-lhe : Senhor, vem e vê. Então chorou Jesus. Disseram então os Judeus : Vejam como elle o amava. Mas alguns disseram : Este que abriu os olhos do cégo de nascença, não podia fazer que Lazaro não morresse? Jesus pois veiu ao sepulchro que era uma gruta, e em cima della se havia posto uma campa. Disse Jesus: Tirai a campa. Respondeu Martha : Senhor, elle já cheira mal, porque já é de quatro dias. Disse-lhe Jesus : Não te disse eu, que se tu crêres, verás a gloria de Deus? Tiraram pois a campa, e Jesus, levantando os olhos ao céu, disse : Pae, eu te dou graças porque me tens ouvido. Eu bem sabia que tu sempre me ouves, mas fallei assim para attender ao povo que está em roda de mim, para que elles creiam que tu me enviaste. Dito isto, bradou em alta voz : Lazaro, sae para fora. E no mesmo instante saiu o que estava morto, ligados os mãos com as ataduras, e o seu rosto estava envolto num lenço. Disse Jesus aos circumstantes : Desatai-o e deixai-o. Muitos dos Judeus. …. que tinham presenciado o que fizera Jesus, crêram nelle.

 

Explicação da gravura. (traduzido do inglês)

9. A imagem representa a ressurreição dos mortos. No centro da imagem, em meio à desordem geral em que a natureza é imersa, vemos anjos tocando a trombeta para chamar os homens ao julgamento. Os túmulos se abrem e os mortos se levantam do pó. Entre eles está um rei que guardou sua coroa e um bispo que, ao voltar à vida, encontra diante dele, pronto para entregar suas vestimentas pontificas.

10. No topo da gravura, a cruz aparece no ar, toda resplandecente de luz e cercada por espíritos angelicais. A visão da cruz conforta os bons, que estendem seus braços ansiosamente em direção a ela, enquanto os ímpios ficam aterrorizados com ela, encolhendo-se de medo e rezando para que as montanhas caiam sobre eles e os esmagem no nada.

 


 

A- Catecismo Ilustrado, páginas 01 a 15: (Página atual)

B- Catecismo Ilustrado, páginas 16 a 32: Clique aqui

C- Catecismo Ilustrado, páginas 33 a 49: Clique aqui

D- Catecismo Ilustrado, páginas 50 a 66: Clique aqui

 


 

publié 10 février 2020 par missiondesainteanne

%d blogueurs aiment cette page :